quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Esquerda radical antissemita vai atacar Peres no Rio de Janeiro

(formatação da msg original)

Mais uma vez essa esquerda radical imbecil que temos no Brasil parte para uma agenda internacionalista racista nas ruas do Rio de Janeiro. Me surpreende que não tenham acusado os judeus pelo apagão!
Para eles, as "armas de Israel são para matar nosso povo"... O governo vai comprar armas dos judeus para matar brasileiros. É isso que está aí. São os mesmo grupos que não se intimidaram em matar brasileiros com armas belgas, francesas, dinamarquesas e brasileiras e americanas nos seus anos de guerrilha e que defendem o uso das armas soviéticas pelo tráfico de drogas em sua guerra contra a polícia, o governo e os cidadãos brasileiros. Na visão de propaganda racista antissemita da esquerda brasileira o acordo de extradição Brasil-Israel é para pegar palestinos brasileiros e mandá-los para Israel para serem mortos, enquanto a mais simples verdade é acabar com a impunidade de braisleiros e israelenses coemtendo crimes em seus países e fugindo para o outro país.

Continuam com a grave calúnia, o criminoso libelo de sangue do início do século 21 acusando isralenses de roubar órgãos de palestinos. Não interessa a verdade, interessa apenas a propaganda antissemita orirunda das viúvas de Lenin.

Leia com atenção as barbaridades proferidas em nome da liberdade de expressão por esses terroristas virtuais que se escondem em meio a população brasileira!

José Roitberg - jornalista

TODOS À MANIFESTAÇÃO DE REPÚDIO À PRESENÇA DE UM CRIMINOSO DE GUERRA, ASSASSINO E TERRORISTA EM NOSSO TERRITÓRIO!
(POR FAVOR, REPASSEM A CONVOCATÓRIA)
No dia 13 de novembro às 9:00 da manhã, os movimentos sociais, partidos políticos e entidades  participantes do Comitê convocam todos os internacionalistas, ativistas dos direitos humanos, militantes e população em geral para manifestação que faremos  na frente da Petrobrás neste dia.

Esse criminoso de guerra está enchendo o bolso da burguesia internacional armamentista vendendo armas modernas, aviões militares não-tripulados produzidos por essa fábrica de armamentos e de morte que se chama israel. Vêm, também, de olho em nossas riquezas do pré-sal, do petróleo; na sua comitiva 40 empresários israelitas. Lamentavelmente o governo brasileiro, ignorando as campanhas de boicotes contra o estado fascista e sionista e ignorando o relatório da ONU sobre os crimes de guerra praticados contra os palestinos,  assinou nesta quarta feira acordos nas áreas de turismo, cinema e cooperação técnica, além do tratado de extradição. Uma vergonha!!!!

Todos sabemos que o objetivo dessas armas tem um destino fixado e não é nenhum país inimigo. O inimigo é o nosso povo, o povo excluído, o povo pobre, as resistências populares, enfim,  o combate , como disse o ministro Jobin ao criminoso de guerra, não será contra uniformizados, contra outro exército ....

O Governo Federal, o governador Sergio Cabral e o Prefeito Eduardo Paes estão recebendo o assassino com honras de aliados. Lula assinou o perigoso acordo de extradição,  que pode  significar que mandaremos palestinos para as terroristas prisões israelitas... E o  o Governador e o prefeito estão atrás de tornar mais  eficientes e bem armadas suas polícias, exatamente como o é o terrorista exército sionista ,obviamente, para matar nossa população dos guetos e favelas, como fazem em Gaza?

Shimon Peres, presidente de Israel, está a serviço  de  um estado com sangue nas mãos, que realiza uma ocupação ilegal e criminosa dos territórios da Palestina, que  mata, prende, tortura, rouba órgãos humanos e humilha; que  aprisiona  todo o povo palestino   com um grau de crueldade sem precedente na história. Israel está  asfixiando  três milhões de pessoas na Palestina ocupada, impondo, todos os dias, um  crescente  desespero.

        Peres mantém a tradição de todos os governos  israelita: um  comportamento nazistas contra os palestinos. Está  sitiando 1,5 milhões de pessoas em Gaza, impondo a morte lenta pela fome, pela falta de atendimento  médico e de infra-estrutura,  criando, na prática, um campo de concentração.  O que faz jus a seu passado: ajudou a África do Sul do apartheid a adquirir armas quando estava sob um embargo internacional.

            O atual chefe do estado de Israel esteve presente e atuou para aumentar a  cota de sofrimento dos palestinos, desde a Nakba ("Catástrofe") em 1948, passando pela ocupação em 1967 e o sítio de 2002 e  esteve à frente  da  implantação do primeiro assentamento judaico, Kedumim, em 1970, no coração  da Cisjordânia ocupada. Ele comandou também a Operação Punhos de Ferro (1983-7) que  exterminou (após prender e torturar) milhares de paupérrimo aldeões libaneses e palestinos.

            Como todos os criminosos e assassinos em massa, Peres tenta  encobrir seus crimes, utilizando uma retórica mentirosa e cínica em "favor da paz". Mas este  "ilustre" laureado com o prêmio Nobel da Paz  de 1994 tem uma imensa folha corrida, recheada de crimes que inclui o seu papel na  formação da  Haganah-milícias   que  praticaram  atos  terroristas, com assassinatos em massa, para forçar os palestinos  a deixarem suas casas em 1947/48. Só a degeneração moral,  que tomou conta  da classe dominante do mundo,  explica  tal premiação.

        Esse porta-voz de Israel está sendo  recebido pelos dignatários brasileiros e pelos empresários paulistas, na semana em que o mundo novamente se levanta contra o Muro do Apartheid. Na programação da visita,  encontros com o  Ministro da Defesa, Nelson Jobin, e  com o presidente Lula.  No Rio, o presidente israelense será recebido pelo presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli,  pelo governador  do Rio, Sérgio Cabral e pelo  com o prefeito, Eduardo Paz. Em pauta, discussões sobre  as relações comerciais Brasil-Israel,  o Acordo de Livre Comércio Mercosul-Israel, armamentos,  tecnologia da morte e, com certeza,  o pré-sal e combustível barato para alimentar a  incrível máquina israelense de fabricar cadáver. No seu staff , está o representante da empresa Elbit, desenvolvedora dos principais armamentos e tanques israelenses usados no massacre em Gaza e fornecedora de  sistemas de segurança para o muro do Apartheid na Cisjordânia e para assentamentos ilegais.  

 

Vergonha!

A participação da empresa  Elbit em obras ilegais de Israel, como o muro da segregação, e o fornecimento de veículos aéreos não tripulados e  outras tecnologias para os militares israelenses, levou o governo da Noruega a romper relações comerciais com essa empresa. Infelizmente, para o governo Lula, essas questões éticas são  tão irrelevantes que o representante dessa empresa é recebido com todas as honras pelo Brasil.

Memórias de um genocídio

Shimon Peres é responsável pelo massacre de centenas de pessoas que tentavam  se proteger no quartel-general das Nações Unidas, na  aldeia de Qana, no sul do Líbano, em 1996.  Um genocídio que horrorizou o mundo com as  terríveis imagens de crianças decapitadas e civis cortados em pedaços.

 

NENHUMA NEGOCIAÇÃO COM O

ESTADO FASCISTA!

 

NÃO AO TLC! FORA ISRAEL DO MERCOSUL

 

PRISÃO PARA OS CRIMINOSOS DE GUERRA ISRAELITA!

 

FORA SHIMON PERES! FORA ISRAEL!

Comitê de Solidariedade à  Luta do Povo Palestino  Rio de Janeiro e Niterói

Nenhum comentário: