quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

PENA DE MORTE PARA TERRORISTAS EM ISRAEL É UM ERRO GRAVE E BIZARRO

ludwigsburg-prison-guillotine-13
Na imagem horrível deste post, temos uma gravura germânica da Idade Média, mostrando como era a pena de decapitação na prisão de Ludwigsburg, pequena cidade ao norte de Stuttgard, que conta com um museu sobre tal prisão.


por José Roitberg

Começo logo dizendo que desta vez vou ELOGIAR os hareidim que mesmo estando na coalizão do governo que não aceitam, recusaram-se a votar a favor de uma nova lei que permitiria aplicar a pena de morte a terroristas que cometerem assassinatos em Israel.

Agora, em segundo lugar vou repudiar os hareidim pelo motivo que levou ao partido United Torah Judaism a se abster de votar com seus seis parlamentares. Não houve questão teológica ou geopolítica alguma, mas apenas uma queda de braço por que o ministro da defesa Avigdor Lieberman, apoia uma outra lei que permitiria supermercados ou mercados que quisessem de abrir aos sábados.

A primeira votação foi apertada, com 52 a 49 a favor da proposta do governo. Notes que a bancada governista possui 66 parlamentares. A legislação foi apresentada por Avigdor Lieberman, do partido Israel Beitenu (Israel é Nosso Lar).

POR QUE A PENA DE MORTE PARA TERRORISTAS HOMICIDAS SERIA UM ERRO GRAVE DA POLÍTICA ISRAELENSE?

O primeiro motivo mais óbvio e que está sendo descartado completamente pelo governo de Bibi Netanyhu é que morrer na ação de matar judeus É O DESEJO do terrorista. Ele só se torna mártir, com os favorecimentos divinos islâmicos a ele e aos parentes dele no Paraíso do Profeta se morrer! Portanto, executar o terrorista que não morreu na ação É COMPLETAR A MISSÃO DELE e retirá-lo da condição humilhante de estar preso pelos judeus e não ter sido capaz de realizar seu ataque conforme planejado, e elevá-lo a condição de mártir do islamismo sunita. Apenas esta definição deveria ser suficiente para sequer se pensar em criar tal lei.

O segundo motivo é tão óbvio quanto o primeiro e pode MOTIVAR UM AUMENTO DAS AÇÕES TERRORISTAS. A pena de morte DEVERIA desestimular os homicídios. Eu já fui muito a favor da pena de morte, mas já compreendi que em país algum onde ela é aplicada, desestimulou qualquer dos crimes onde ela possa ser o termo judicial final. Não há diminuição do número de homicídios dos EUA devido à pena de morte. Não há diminuição do tráfico de drogas para os países muçulmanos asiáticos devido à pena de morte. Não há diminuição da corrupção na China devido à perna de morte, com o agravante singular de ser cobrada financeiramente da família do executado o preço da bala que lhe foi disparada na nuca. E a pena de morte nunca foi fator deterrente do crime capital porque o criminoso sempre tem a certeza de que não será preso. Então a pena não o assusta. No caso do terrorismo islâmico sunita, não se pode assustar com a pena de morte quem deseja morrer. É preciso que ocidente compreenda a mente islâmica árabe sunita, especificamente. Funciona em outras condições CNTP. São diferentes mesmo, de nós. Nossas soluções não servem para eles. Ao definir que o terrorista homicida que sobreviver ao ataque será ou poderá ser excetuado após julgamento, apenas se dá INCENTIVO A NOVOS ATAQUES, com a certeza do martírio ritual antes, durante ou depois do ataque.

O finalmente o terceiro motivo. Eu tive amigos carcereiros em Israel. Fizeram o serviço militar e se voluntariaram para este trabalho horrível e necessário em qualquer sociedade. Um deles, é até um rapper de sucesso lá na Terra Santa. Conversei com ele e perguntei qual judeu gostaria de ser um carcereiro. Ele disse ser um deles, mas não conseguiu definir o motivo exato. Talvez tenha composto já uma letra a respeito disto. Então a terceira obviedade é: qual é o judeu que gostaria de ser mecier guillotin? Qual judeu que gostaria de ser o executor mór do Estado? Isto simplesmente NÃO COMBINA nem com a filosofia judaica, nem com o judaísmo religioso, nem com o momento atual da sociedade israelense e mundial.

Fôssemos nós como os jihadistas do Estado Islâmico, haveria fila de candidatos. Mas eu espero que a lei não seja aprovada e caso seja e entre em vigor, que nenhum judeu se candidate a ser executor judicial pelo Estado de Israel. Isto seria uma vergonha que existe em outros países, inclusive em países amigos e inimigos de Israel que não precisamos trazer para dentro do judaísmo do século 21.

Existem cada vez mais judeus nas mídias sociais e no mundo real clamando que 'nós' devemos ser iguais a 'eles'. Se enforcam no Irã, se cortam cabeças na Síria e no Iraque, se tem pena de morte no Egito, então nós temos o direito de fazer a mesma coisa.

Não temos não. Judeus não enviam seus rabinos para o cadafalso de forcas ao lado dos executados ou para as guilhotinas, mantendo Deus ao lado do punido. Isto simplesmente não faz parte do judaísmo e qualquer pessoa que pretenda que isso se torne parte do judaísmo é uma pessoa que perdeu suas raízes e sua coerência como ser humano. Seja um zé mané, seja um Avigdor Lieberman.

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

TRUMP DIZ QUE ONU VAI FAZER OS EUA ECONOMIZAREM UMA BOA GRANA



trump-1
por José Roitberg

Após vetar ontem a resolução do Conselho de Segurança da ONU contra Israel ser a capital de Israel, uma nova batalha será travada nesta quinta-feira na Assembleia Geral da ONU.

A Donald Trump não está nem aí para os roteiros de séries como House of Cards ou Designated Survivor. Para ele, política-real é algo diferente, e poder é para ser utilizado abertamente.

Assim, o presidente dos Estados Unidos, declarou há algumas horas atrás algo que jamais esperaríamos escutar de qualquer presidente, menos do Putin.

"Deixe eles votarem contra nós. Vamos economizar um bocado", ao avisar que poderá cortar as ajudas de custo e financiamentos a todos os países que apoiarem a resolução que não é contra Israel e sim contra os Estados Unidos, pretendendo alguns países anular a decisão que só cabe aos Estados Unidos.

Se você acha que votos capitaneados por adversários vão fazer os Estados Unidos, voltarem atrás numa decisão feita há 22 anos por seu Congresso e implementada por seu presidente, bem, você seria muito naif.

É óbvio que é antissemitismo negar aos judeus o direito de escolher a capital de seu país. É óbvio que é antissemitismo negar aos judeus o direito de manter fronteiras conquistadas em guerras como TODOS OS PAÍSES DO MUNDO o fizeram, talvez menos a Austrália... É óbvio que é antissemitismo quando o Patriarca Católico Ortodoxo de Jerusalém vai à Ramallah pedir ajuda aos palestinos muçulmanos sunitas, contra a "judaização de Jerusalém", após Trump decidir mudar a embaixada americana para a Cidade Santa.

Todas as religiões são absolutamente livres numa Jerusalém capital do Estado Judeu, coisa que nunca aconteceu sob o domínio muçulmano, mas os católicos ortodoxos sempre odiaram muito mais os judeus que os muçulmanos.

"Eles recebem bilhões de dólares e votam contra nós. Bem, vamos observar estes votos. Deixe eles votarem contra nós. Nós vamos economizar muito. Eu não me importo." Disse Trump e prosseguiu: "As pessoas estão cansadas dos Estados Unidos - as pessoas que vivem aqui, nossos grandes cidadãos que amam este país - estão cansadas de estarem levando vantagens sobre nós, e não vão mais se aproveitar de nós."

A PIADA DO DIA PARA QUEM ESQUECE A HISTÓRIA.

O ministro palestino das relações exteriores Ryad al-Malki, afirmou que "Washington está ameaçando os países membros da Assembleia Geral da ONU por seus votos". Qua coisa bizarra. Logo um membro antigo da OLP que passou a década de 1970 ameaçando todos os países do mundo com sucessivos sequestros de avões com todos os seus passageiros. Uma OLP que desde 1963, não só ameaça, mas efetivamente assassina judeus em Israel não gosta quando é ameaçada... Ah... Vão catar tâmaras....

ENQUANTO ISTO NO BRASIL...

Nas mídias sociais, tolos judeus companheiros meus cobram da CONIB (Confederação Israelita do Brasil) uma posição firme diante do governo Temer (logo agora?). Cobram isto, porque a CONIB desfraldou suas bandeirolas elogiando a posse de Aloysio Nunes Ferreira como ministro das relações exteriores, mesmo ele tendo sido comunista de carteirinha e participante da luta armada contra o povo brasileiro nos anos 1960 e 1970. Sobre o ministro há duas coisas: a CONIB o chama de amigo; e os entendidos em política dizem que ele abandonou o comunismo faz muito tempo.

Ao contrário da maioria de meus amigos eu acredito que as pessoas mudam, que pesem os erros do passado e trilhem novos caminhos. Mas ficarei positivamente surpreso se Aloysio votar a favor dos Estados Unidos amanhã. E se votar será pelos interesses do Brasil e manter os braços dados com os EUA e não por interesses do Brasil com Israel ou influência perpendicular da CONIB.

UM FINAL ENGRAÇADO.

Tem gente que acha que pode vencer o Trump em negociações... Tadinhos...

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

RUSSOS SE RETIRAM DA SÍRIA

por José Roitberg

Vladimir Putin, ordenou no sábado a rápida retirada de TODAS AS TROPAS RUSSAS do território sírio, após declarar, por sua vez que a capacidade militar do Estado Islâmico foi totalmente destruída e as as tropas muçulmanas locais podem lidar com os restos do Califado.

Se você for ingênuo a ponto de não acreditar que este movimento faz parte do IMENSO ACORDO REGIONAL para levar a geopolítica do Oriente Médio para a realidade, bem, você certamente irá deixar sua Chanukiá com as velinhas acesas pro Papai Noel e o Coelhinho da Páscoa se deliciarem com gostosos sufganiot (bolinhos fritos de massa típicos da festa de Chanucá que se inicia neste dia 12 de dezembro).

Ebfe7jf
Na foto, um soldado de operações especiais russo leva no capacete sistema pequeno de visão noturna e aponta seu fuzil AK-74 calibre 5.45×39mm com mira de ponto virtual (holográfica), lazer e sabe-se lá mais o que. Antes que perguntem é 74 mesmo, simplesmente por ter sido introduzido no ano de 1974. O AK-47 é calibre 7.62×39mm e o 47 vem do ano que foi introduzido, se bem que começou a equipar as forças soviéticas apenas em 1949.

O que significa a saída dos russos da Síria para Israel?

Sai o maior porta-aviões da frota russa, saem todos os aviões de ataque ao solo com suas bombas e misseis inteligentes, saem todos os tanques T-72 com blindagem reativa de última geração, saem os tanques-drone robotizados, saem as tropas especiais, saem os radares entre os mais modernos do mundo e também saem todas as baterias antiaéreas S-300 e S-400 de última geração que podiam abater qualquer aeronave sobre o espaço aéreo de Israel e Líbano.

Com isso, a ameaça de uma força militar que Israel não poderia atacar para não abrir uma guerra com a Rússia, mas que poderia ser utilizada pelos russos para ajudar seus aliados no caso de ataques de Israel (note que durante dois anos isso nunca aconteceu) deixa de existir e Israel volta a ser a potência militar capaz de controlar dos céus também sobre o Líbano e a Síria sem maiores dificuldades. Os russos deixam lá os mísseis S-200 repotenciados, que já foram disparados cerca de 10 vezes contra aviões de Israel sem qualquer impacto, ou seja, são inúteis contra a aviação de Israel, Turquia, Jordânia e Arábia Saudita.

Os Russos largaram o Irã e seu Hezbollah por conta própria em suas vociferações contra Israel, enquanto os EUA estão abertamente e repudiadamente a favor de Israel.

O que os Russos ganharam na Síria?

Testaram em condições de combate todos os seus sistemas inteligentes de guiagem de mísseis, de drones aéreos e terrestres, sistemas de visão noturna e inteligência digital de campo de batalha, sua blindagem reativa única para tanques de guerra, mas principalmente deixaram uma geração se seus militares com experiência de combate, coisa que não ocorria desde a invasão soviética do Afeganistão.

Agora, caso o Estado Islâmico esteja realmente batido na Síria, haverá muitos bilhões de dólares correndo para a limpeza e reconstrução de praticamente todas as cidades principais.

Mas uma pergunta vale o milhão!!!

Quanto dos refugiados sírios na Europa você acham que são patriotas e voltam para reconstruir seu próprio país?

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

EMBAIXADA DOS EUA EM JERUSALÉM. O QUE ISTO PODE SIGNIFICAR?

por José Roitberg

Possivelmente você não deve saber que o Congresso Norte-Americano, aprovou uma decisão vinculante (que precisa ser cumprida pelo Presidente), afirmando que a capital de Israel é Jerusalém, em 1995, no segundo ano do primeiro mandato de Bill Clinton (Democrata). Tal resolução tinha uma cláusula de que o Presidente poderia procrastinar a aceitação por seis meses. Eu nunca li o texto e dificilmente nos EUA se faz algo ilegal quando há lei. Assim, desde 1995, portando há 22 anos, a cada seis meses o presidente em questão empurra a implementação da decisão do Congresso, legalmente, para frente.

Não há nenhuma embaixada em Jerusalém apesar de lá estar a sede do governo de Israel, o Parlamento (Knesset), a Suprema Corte e os ministérios.

O mundo católico-cristão (os políticos, não especificamente as pessoas), de fato não suporta a ideia de judeus controlarem Jerusalém e darem liberdade lá a todas as religiões. Isto é muito recente na história humana e tem apenas 50 anos. De 1480 até 1967 Jerusalém esteve sobre controle muçulmano, com a proibição de culto e peregrinação de judeus, católicos romanos e cristãos. Apenas a Igreja Católica Ortodoxa é que operava lá, mas sob o estatuto de Dhimi, com os católicos ortodoxos como cidadãos de segunda classe. E as lideranças ortodoxos, que acham que a vida foi sempre assim por quase meio milênio, continuam apoiando esta solução, que preferem, à liberdade sob o 'jugo dos judeus'.

E o mundo muçulmano? Não é mera coincidência Trump telefonar para vários líderes da região e anunciar o que vai fazer neste momento. Certamente Trump deve ter dito que os americanos fazem o que bem entendem com sua política e que nenhum país irá definir onde os EUA podem ou não podem ter suas embaixadas, ainda mais por haver a decisão do Congresso de 1995.

Estamos num momento em que TODOS os países árabes estão boicotando o Qatar, que se mantém a única nação árabe a apoiar o Hamas. O curioso é serem ambos sunitas. Para exercer pressão constante sobre Israel, o Irã xiita não árabe, que está em guerra aberta com os árabes sunitas também mantém seu apoio ao Hamas, enquanto tenta posicionar tropas o mais próximo possível da fronteira de Israel na Síria, já tendo suas bases sido bombardeadas pela aviação de Israel por dois dias seguidos.

O alinhamento da Arábia Saudita com reformas duríssimas pretendo sair do Islã Radical para o Islã Moderado, liderando uma coalizão militar que envolve o Egito, Marrocos, Jordânia, UAE e Barhein, além da aproximação com Israel, indica que o acordo de reconhecimento de Israel está muito próximo e o passo norte-americano faz parte do bojo deste acordo.

As pessoas podem não acreditar, mas estamos há seis anos dentro de uma da mais fatais e extensas guerras entre sunitas e xiitas que o mundo já presenciou e as potências mundiais estão engajadas ativamente nelas. Tem gente que faz questão de não entender que a Rússia combate ao lado dos xiitas, e os EUA e Israel ao lado dos sunitas. E isso vai aumentar de proporção. Não perca de vista que os xiitas representam apenas menos de 20% da população muçulmana mundial.

E os palestinos? Vão continuar fazendo o que vem fazendo desde 1947: matar judeus. Não é uma questão política ou territorial, mas uma questão racista teológica. Obviamente vão usar a embaixada como pretexto, pois são ótimos com isso, e mobilizar mais de seus jovens para se matar em nome de Deus, levando junto quantos judeus puderem, coisa que a esquerda mundial, inclusive a judaica faz questão de não ver, De fato, para Israel, não há diferença nos palestinos manterem seus ataques homicidas-suicidas ou por foguetes com ou sem embaixada. Não precisou existir o pretexto da embaixada anteriormente para os judeus serem vítimas desta teologia do martírio por Allah.

E os judeus de esquerda norte-americanos? Estão alucinados. As notícias de hoje mostram as principais instituições da esquerda judaica, como a 'J Street' (Rua J) e o senador judeu democrata antissemita Bernie Sanders, acusando os republicanos de destruir as possibilidades de paz no Oriente Médio. Para estes, enviamos um solene: vão se danar! É um bando enorme de gente que jamais se preocupou com o assassinato de judeus em Israel, ou com a expulsão dos judeus dos países árabes. Sua plataforma político-burrológica é pretender a Solução de Um Estado para a região, defendendo um Estado Laico, sem religião, onde convivam os árabes e os judeus que bem entenderem. Essa gente patética faz a absoluta questão de não compreender que o Islã é uma religião onde ele for minoria e é um sistema político onde ele for a maioria. Jamais, palestinos aceitariam um Estado Laico.

A esquerda-judaica faria um papel histórico mais digno, se dialogasse com os palestinos que defendem, para que os palestinos aceitem a Solução dos Dois Estados.

E Jerusalém indivisível? Volto a afirmar o que quase todos os meus amigos judeus odeiam ouvir. Jerusalém, nos últimos dois mil anos sempre foi uma cidade dividida e o é hoje. Só não acredita na indivisibilidade da cidade quem não esteve lá ou olha os prédios e ruas com olhos de fé e não de realidade. Dentro dos muros da Cidade Velha os bairros são divididos. Fora dos muros, na cidade nova os bairros são divididos e há uma clara linha entre o lado árabe e o lado israelense. Então como pode-se clamara por uma Jerusalém Indivisível, se ela é dividida hoje?

O que é uma cidade dividida? Você pode ir a todos os bairros e comunidades do Rio de Janeiro, de São Paulo, de Belo Horizonte, de Brasília e outras? Não pode né. Nossas cidades são divididas e fazemos questão de imaginar que não são.

Eu, pessoalmente, não vejo problema algum em que Jerusalém Ocidental seja a capital de Israel e que Jerusalém Oriental seja a capital de um futuro e necessário Estado Palestino. A capital da Autoridade Palestina é Ramallah, cidade que fica ao norte de Jerusalém. Até mesmo no Brasil temos cidades fronteiriças parte e um país, parte em outro e não há problemas com isso, apenas soluções.

Se alguém se der ao trabalho de olhar no Google Earth ou Maps, vai constatar que não existe mais solução de continuidade entre Jerusalém e Ramallah. As duas cidades, e o que tem entre elas, cresceram tanto que hoje são uma coisa só, como São Paulo e as cidades da Grande São Paulo. Apesar de existir uma divisão nominal e política nos mapas, Jerusalém e Ramallah estão unidas e isso tende a aumentar. Forçando a barra, poderíamos dizer que a capital palestina já faz parte de Jerusalém.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

TRUMP E A CORAGEM DE EXPOR A CANALHICE DEMOCRATA SOCIALISTA EM RELAÇÃO AO ISLÃ

mickey-radical
por José Roitberg

Impressionante o poder que o Islã tem de cooptar simpatizantes. Ontem, o mundo inteiro, inclusive o Jornal Nacional, deixaram bem claro, que divulgar as atrocidades que jihadistas e outros muçulmanos cometem, filmam, e publicam eles mesmos. como forma de propaganda de sua força, é FOMENTAR O ÓDIO AOS MUÇULMANOS !!!

Todos os democratas americanos e ingleses estão descendo o cacete em Trump por compartilhar 3 vídeos, até antigos e muito difundidos nas mídias sociais. Eu tenho quase a certeza de que, fora os políticos de ponta, o público democrata jamais tinha visto tais vídeos e ficou horrorizado, achando que são falsos. Isto é dito no Jornal Nacional.

Interessantemente, esta mesma gente que não admite mostrar muçulmanos matando muçulmanos, é a gente que não tem o mínimo pudor de acusar os judeus de genocidas, de avarentos e usuários, de ladrões de terras, de usurpadores do petróleo do Oriente Médio, de ameaça a paz mundial. Ou seja, acusar os judeus pelo que eles NÃO FAZEM, continua agenda politicamente correta desde o imperador romano Constantino, no século 4, ao passo que mostrar o que os muçulmanos fazem e divulgam publicamente é um absurdo e não pode ser feito.

Eu ainda não tinha contado a vocês, mas em setembro, o Youtube puniu a conta da Menorah com suspensão de 20 dias, por termos lá, dois vídeos de DENÚNCIA sobre o Estado Islâmico, mostrando os massacres de muçulmanos iraquianos na conquista de Mossul. Estavam lá já há mais de 5 anos, com dezenas de milhares de views, mas a polícia dos costumes robotizada e lobotomizada ocidental, decidiu que estávamos, como o Trump, promovendo a ISLAMOFOBIA e nos deu dois 'strikes', um por cada vídeo, sem qualquer aviso anterior, tipo "por favor os vídeos violam nossa NOVA política, remova em uma semana, senão será punido". Não. Primeiro a punição não-judicial, depois o aviso. E ainda tem mais: caso tivermos um terceiro strike, seremos eliminados do Youtube sem a minima consideração.

Assim, meus amigos, eu gostaria que vocês considerassem um pouco o que os democratas e socialistas ocidentais estão fazendo em relação às atrocidades que o Islã comete: ninguém pode vê-las, e as pessoas DEVEM SER MANTIDAS NA IGNORÂNCIA. Os vídeos que o Trump mostrou estão entre os mais amenos e diria até amorosos na forma como o Islã radical trata seus inimigos. Se ele tivesse compartilhado os vídeos de Mossul, nem sei o que o mundo estaria dizendo neste momento. Nestes, jovens muçulmanos homes eram desembarcados de caminhões, corriam até uma vala rasa na areia, eram obrigados a deitar de barriga para baixo e em seguida fuzilados pelas costas com rajadas de AK-47, em processo bem semelhante ao que os grupos de extermínio da SS fizeram com os judeus soviéticos. Noutro, um por um, rapazes muçulmanos xiitas iraquianos, vinham numa fila, tomando tapas e chutes até chegar à beira da represa de Mosul, onde um executor do Estado Islâmico segurava um braço deles, encostava uma pistola 9 mm na cabeça de seu irmão muçulmano de vinte e poucos anos, disparava e deixava o corpo cair na água, a um ritmo de um assassinato a cada 10 segundos.

E quem me acompanha sabe que odeio os termos Homofobia e Islamofobia, pois 'fobia' é 'ter medo de'. Ser contra alguma coisa não é fobia. Mas fobia é uma doença e estes mesmos democratas e socialistas consideram ser um "doente" quem é contra os grupos acima. Só que um amigo meu, comentou: "Em relação ao Islã, deveria-se ter medo mesmo", e eu concordo com ele.

O cidadão comum e até boa parte dos mais instruídos, não sabem e não querem saber que o Islã já dominou quase todo o mundo conhecido então, por duas vezes, em dois grandes impérios e estamos nos estágios iniciais da criação do terceiro, no qual todos nós viveremos como Dhimis, cidadãos de segunda classe pagando imposto anual para ter o direito de estarmos vivos, enquanto os politeísta, aqui no Brasil, essa boa gente toda das religiões de matriz africana, será simplesmente executada, pois para o Islã, mesmo o moderado, apenas os monoteístas são considerados como seres humanos.

Os ocidentais precisam acordar. Metade de população mundial é politeísta, portanto não é composta por seres humanos, afirmam os mesmo clérigos que recentemente garantiram que o Sol gira em torno da Terra.

sábado, 25 de novembro de 2017

Windows 10 lento para iniciar e nos minutos após a inicialização

Há dois fatores já bem conhecidos para a demora da inicialização do Windows 10. Não para a tela dele entrar, mas para você poder começar a usar o computador na área de trabalho. Pode ser que até tudo fique lento de travado durante os primeiros minutos e você não consegue nem abrir uma janela. Como isso pode acontecer no i7 com 32 ou 64 GB de memória rápida?

Ah… Agradeça aos fabricantes e fornecedores Crapware, que mesmo sabendo dos problemas de seus softwares, deixam a solução para malucos como nós, ao invés de RECONHECER que há problemas e enviar uma nota oficial do que fazer.

O primeiro grande problema é a interação do Zone Alarm com o Windows 10. Nem o fabricante do anti-virus e firewall, nem a Microsoft de pronunciaram sobre o assunto. Adotam o comportamento de avestruz com uma pequena diferença, pois elas foram um bicho híbrido. Para fugir dos problemas, enfiam a cabeça deles num buraco no chão, mas deixam virada para cima a nossa bunda, e não as deles.

Entusiastas descobriram que o Firewall do Zone Alarm, um dos mais utilizados no mundo, se comunica com o sistema de backup do Windows 10 e por 5 a 10 minutos pode elevar o uso da CPU, nos piores casos a 20% (no meu caso chegava a 55%). Mesmo assim com 80% da CPU livre, nada funcionava. Após os 10 minutos iniciais a coisa se acertava e passava a consumir ‘apenas’ 10 a 12% da CPU para fazer o quê? Aparentemente NADA! Mas alguma coisa estava rodando em sua máquina. Tem gente que testou isto mesmo com o cabo de rede desconectado e descobriu que o Firewall junto com Backup estavam agindo mesmo sem conexão de internet, portanto, algo muito errado aí. Então, a definição para resolver PARTE do problema é abrir a interface do Zone Alarm, ir no Firewall e desliga-lo com os dois botões que existem lá. Precisa reiniciar o computador necessariamente.

Após a reinicialização, a primeira coisa que vc deve fazer, é entrar nas configurações do Windows 10 e habilitar o Firewall do Windows, que estará desabilitado pela instalação ter detectado o Zone Alarm anteriormente. Para ficar seguro, você deverá reinicializar o computador novamente se o Win 10 não avisar que você deve faze-lo.

O antivírus do Zone Alarm, até segunda ordem pode ser mantido. Está síndrome aí acima afeta as versões gratuitas e pagas, da mesma forma.

MAS MEU FIREWALL NÃO É O ZONE ALARM

Você terá que proceder da mesma forma já que vários sites especializados testaram os firewalls, mais utilizados no mundo e TODOS apresentaram o mesmo problema. Assim no Windows 10, só o firewall nativo.

Há relatos também, e isso acontecia comigo, desta síndrome de estranho abuso da CPU ocorrer ciclicamente a cada 8 ou 10 horas, sem que qualquer serviço estivesse agendado.

SEGUNDO E MAIS IMPORTANTE PASSO

Há outro SERVIÇO que detona o início do Windows 10. Ele é chamado de SUPERFETCH e pode ser encontrado através do MSCONFIG lá na aba de serviços.

O Superfetch existe desde o Windows Vista e você não deve ter notado problemas com ele até chegar ao Windows 8.1. O Superfetch serve para colocar na memória RAM (aquela dos pentes do computador) os programas e trechos de programas que o Windows entendeu que você mais usa, para eles iniciarem mais rápido. Coisa até sem sentido se seu computador tem apenas 2 GB ou 4 GB de RAM. Ele foi desenvolvido na época dos HDs e não foi projetado para SSDs, cada dia mais baratos e comuns.

Acontece que o SSD tem uma leitura tão velos quanto às RAMs e dispensa o uso do Superfecth. Para piorar a coisa, este serviço, mesmo com SSDs funcionava corretamente no Win 7 e Win 7 SP1 e  funciona incorretamente no Win 8.1 e Win 10.

superfetch

Assim, se você usar SSD para o sistema operacional e para as pastas de programas, o que é normal de quase todos nós, então precisa DESABILITAR O SERVIÇO SUPERFETCH, pois ele vai ficar alguns minutos, na inicialização do computador, copiando programas para a RAM. Mas se você usa HD e tem mais de 4 GB de memória, sugiro manter. Faça um teste. Agora, se você usa um daqueles notebooks de 2 GB que são um saco para iniciar, então detone o superfecth e você terá uma grata surpresa.

Note a posição do rollover à direita, pois o Superfecth fica lá para baixo, pertinho do Telefonia, que é mais simples de encontrar.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Como ser rebaixado de Liga no War Machines


WhatsApp-Image-2017-11-13-at-15.00

Se você veio parar neste post é porque está envolvido no mesmo problema que muita gente tem ou já passou. Você instalou o app War Machines, achou muito divertido e simples, foi destruindo o máximo possível de tanques, procurou ficar no entre os 10 primeiros, os top 10, da sua Liga semanal.

Achava que isto era um bom negócio, pois quanto mais avançada é sua liga, mais pontos você ganha por partida e por tanques destruídos. Só que não é bem assim.

Como você já entendeu, o sistema do jogo procura agrupar na mesma Liga semanal os jogadores com o mesmo perfil de desempenho na semana anterior. Os jogadores que estão na sua Lig, dificilmente você vai encontrar nos cenários de jogo. É cada um por si.

Mas nos cenários de jogo, o sistema procura colocar (sempre que possível) jogadores de Ligas com desempenho semelhante. Por exemplo, se você atingir a Liga Diamante V (cinco), a mais fraca dos diamantes, já irá enfrentar super tanques, eventualmente, e vai quebrar a cara. Antes das Ligas Diamante, você não enfrenta os supertanques de jogadore que pagam quase 400 reais por ano para jogar. E creio que você é um jogador que não paga. Pois se pagar, vá mesmo avançando de Liga.

O interesse do fabricante do jogo, a ‘Fun Games for Free’ é que os jogadores gratuitos paguem para possuir tanques melhores. É o negócio deles.

Se não pagar, tente não entrar na Diamante, pois sair dela é muito chato.

MAS COMO SAIR DE UMA LIGA OU SER REBAIXADO? É POSSÍVEL SER REBAIXADO NO WAR MACHINES?

Sim, é possivel, apesar das fracas FAQs do jogo não abordarem isto.

Se você estiver entre os 10 primeiros da Liga ao final da semana, você será promovido para uma Liga superior. E pode nem ser a próxima. No meu caso acabei passando por cima da Dimante V e lançado direto na Diamante IV.

Se você estiver entre as posições 11 e 20, provavelmente será promovido também. Tem vezes em que isto ocorre, noutras não.

Se você estiver entre as posições 21 e 30, provavelmente você sera mantido na mesma Liga para a semana seguinte, mas pode ser promovido. Isso acontece ás vezes.

Se você estiver da posição 31 a 40, é quase certo de que não será promovido.

E se estiver da 41 para baixo, provavelmente será rebaixado. E da 51 para baixo, certamente será rebaixado. É isto que você queria saber.

Como jogador, você já percebeu que a classificação de uma partida, ou batalha é por PONTOS e não por número de tanques destruídos ou por suas próprias mortes. Os pontos são atribuídos cada vez que vc destrói um tanque, cada vez que você colaborou para a destruição de um tanque por outro jogador, e por cada estrela que você pega.

É importante saber disto, pois a classificação semana na Liga, se dá EXCLUSIVAMENTE PELOS PONTOS, conseguidos no cenário de jogo, traduzidos por ESTRELAS. Assim, se sua intenção for ser rebaixado e se manter em Ligas mais favoráveis ao tanque que você tem, não só você terá que jogar menos partidas, mas principalmente EVITAR PEGAR AS ESTRELAS no campo de jogo. Você já deve ter percebido que muitos jogadores às ignoram e este é o motivo.

E depois da cada partida, monitore sua posição na Liga da Semana. É complicado perder posições na Liga nos últimos dois dias. Assim seu objetivo é ficar abaixo da posição 41 ao final do terceiro dia antes do fim da semana da Liga.